paisagens aquáticas

A água nas imagens têm sido utilizada culturalmente para simbolizar pureza, tranquilidade, paz. Mas também pode representar tempestade, forças incontroláveis e tudo que toca o mistério e oculto. Muitos desses temas e contextos aparecem no Tarot representados pelas águas. 

aquária (2021)

O naipe de copas é relacionado com este elemento e explora nossas emoções, relações e sentimentos. A água concentra os mistérios profundos do subconsciente e as infinitas possibilidades criativas. Aqui, podemos trazer para o campo dos significados da água questões relativas às emoções, sensibilidade, intuição, conhecimento e espiritualidade. 

Nos Arcanos Menores do naipe de copas, cada carta nos mostra um contentor para essas águas. A começar pelo Ás, que transborda e extravasa e pode assumir a forma que for e se coloca assim, incontrolável. Caminhando do 1 ao 10, temos um percurso de contenção e expansão e de modulações que as (nossas) águas assumem conforme a vida acontece. Nos outros naipes a água também está presente, em forma de mar, rio, lágrimas, suor, lago, chuva.

Ente os Arcanos Maiores podemos tomar aqui de exemplo A Sacerdotisa e a Temperança. Observe que o vestido da Papisa é feito de água e parece fundir-se à lua que está aos seus pés. Ela está sentada em frente a um véu que cobre uma espécie de portal para um grande corpo d’água, enquanto ela mesma é formada por águas profundas. A Temperança, por sua vez, opera sua mistura alquímica com água entre duas copas num cenário de um lago. 

As duas figuras aparentam estar “paradas” porém estão fluindo com as forças das águas e observam com consciência o fluxo de troca entre o interior e o exterior, consciente e inconsciente.

exercício de paisagem

Se você desenha ou pinta, recomendo usar essa linguagem. Se você tem maior facilidade com as palavras, pode usar da escrita automática e da poesia. Primeiro, da maneira que for possível, tente ir para próximo de um corpo d’água. Pode ser um mar, rio, lagoa, uma fonte… Ou até um dia chuvoso. Experimente deixar-se ser afectada por essa força. Procure desligar um pouco o racional e deixar o corpo se encontrar ali.

Num segundo momento no seu caderno você irá desenhar a sensação de estar perto/ser água. Comece por onde for e vá deixando fluir o risco ou as palavras para onde quiser ir (a água sempre encontra seu rumo).

Deixe descansar tudo isso e num terceiro momento retome e com um olhar mais amplo veja tudo que veio à superfície. Procure outras referências (visuais, da palavra e musicais) que façam parte deste seu universo aquático. Quando somar todos esses movimentos aos poucos verá surgir uma paisagem aquática pessoal.